20120229

[festa do bode] 

                

livreiros lindos, fregueses enlouquecidos e uma escritora linda (surpresa!) tocando só música boa. é dia 18, sabe.
[livreira em seu dia de freguesa]



e depois da ressaca de ano novo e do carnaval com muita gente causando na telinha da tevê, o ano finalmente começou. logo, chegou o momento de colocar a livraria em ordem e cada livro no seu quadrado. enquanto organiza a estante de psicologia, livreira nota uma freguesa enlouquecida à procura do santo graal.

- oi, você precisa de ajuda?

(quem sou eu pra perguntar esse tipo de coisa, não é mesmo?)

- então, eu estive aqui ontem e não estou encontrando o livro que vi bem aqui.

(como não está encontrando? tô arrumando essa estante desse ontem, sua linda. a pergunta é: freguesa escondeu o livro sim ou claro?)

- hm, sei. e qual era o nome, você lembra?

- lembro sim, era o "sem medo de ter medo", sabe?

(livreira lembra do título, da cor da capa, do número de páginas e, principalmente, de ter visto o livro em algum lugar do maravilhoso mundo mágico da livraria, mas kd?)

- sei, sei qual é. engraçado, realmente estav...

(em menos de dois segundos, livreira recorda-se do crime inafiançável cometido por ela no dia anterior. envergonhada da cabeça aos pés, admite a culpa sem conseguir estabelecer contato visual com a freguesa)

- ah, olha ele aqui "escondidinho". é que eu tinha separado para comprar e deixei na minha reserva pessoal.

(freguesa completamente passada com o absurdo da situação, pega o livro e foge como se não houvesse show do morrissey daqui a alguns dias. vish)

manual prático de bons modos em livrarias: relutei em compartilhar o causo acima, mas como o amor impera nesse "espaço cultural", nada mais importante do que rolar essa sinceridade toda . mas, ó, continuem me amando e não esqueçam os bons modos: nada de esconder livros, crianças.

20120228

[gente normal]


contrariando as expectativas de muita gente que lê o blog, trabalhar em livraria não consiste apenas em atender uma freguesia muito louca de bala e querer morrer quando alguém pede "raízes abertas do brasil" ou a nova biografia do sr. fernando henrique, "8/80". não, senhoras e senhores, além de carregar pilhas de livros para lá e para cá, brincar de caça ao tesouro quando alguém resolve tirar algo do lugar, perder sábados, domingos e feriados, o livreiro precisa estar disponível e ser solícito o tempo todo, mesmo quando o bode da gripe te pega e o telefone toca.

- livraria x, boa tarde?

- oi, eu queria dsfklh et ç~f.

(livreira, que está sem voz há quase dois dias, pede para a freguesa falar mais alto)

- então, eu queria fklhkfhsafnsa,mf.

(pronto, agora além de parcialmente muda, a livreira também está surda, produção?)

- senhora, desculpe, mas não consigo entender o que a senhora está dizendo...

- MINHA FILHA, QUEM NÃO ESTÁ ENTENDENDO SOU EU. QUE VOZ É ESSA? DÁ PRA VOCÊ PASSAR O TELEFONE PRA ALGUÉM QUE SEJA NORMAL?

manual prático de bons modos em livrarias: claro, até porque ser normal, hoje em dia, é não ter educação nem na fila de recarga do bilhete único. parabéns, fregueses, vocês me matam de orgulho. só que não. 

20120204

[it's a book!]


dias de luz, festa de sol e o livreiro a guardar 8745 livros por hora. é nesse momento de muita correria, que surge um freguês cheio de dúvidas sobre esses estranhos objetos que são expostos em livrarias.

- boa tarde, você pode me dizer o que é isso aqui?

(livreiro olha para o objeto que o cliente está apontando e, uau, é um livro. e, digo mais, um livro do tamanho da aretha franklin, com capa, páginas e ilustrações. mas, para que nenhuma questão fique no ar, o vendedor decide investigar ainda mais o caso com uma pergunta complexa)

- isso o quê?

- isso, moço.

- então, é um livro.

(freguês ESPANTADO, pra variar, não aceita a resposta do livreiro)

- mas um livro desse tamanho?

- ...

manual prático de bons modos em livrarias: depois do atendimento, o livro foi encaminhado ao IML para a família fazer o reconhecimento do corpo, porque, né, eu também não acreditaria em conversa de livreiro.
[sexta-feira do freguês - parte 5]


joão says: vampirismo? rarara


olha, o amor é tanto, mas tanto, que eu nem tive coragem de mexer no trauma compartilhado pela freguesa luciana barreto. sério, ganhou meu coração chamando o blog de "espaço cultural" e livreiro temporário (?) de "ajudante de papai noel". sem mais,


"Comprei um livro para dar de presente para minha aluna de iniciação científica e decidi dar o mesmo título para um estagiário que se formara, modos que voltei à livraria comprar outro exemplar. Claaaaro que não estava no mesmo lugar (calma, aprendi aqui neste espaço cultural que os livros não moram para sempre amém na mesma posição nem na mesma estante) e fui perguntar para o Livreiro Duende Natal...daqueles contratados para as vendas de final de ano  (meu amigo livreiro habitual não estava por lá).
Boa Tarde moço, encontra um título para mim, por favor? O autor é Oliver Sacks e o livro é Tio Tungstênio.
Mal acabei de pronunciar “ênio” e o Ajudante de Papai Noel já tinha digitado no computador e me falado com um sorrisinho de "não tem" me virando a tela do computador como para provar que ele não estava nem mentindo nem de má vontade: Só tem Oliver Twist.(!!!)
Tá, pensei, respira, Natal, calor, muitas vendas (a livraria tinha eu e outra freguesa). Repeti com amor no coração: Oliver Sacks é o autor, o título do livro é Tio Tungstênio.
Ele sorriu amarelo, digitou tudo de novo e voilá, tá-dá, o livro. Fomos até onde - segundo o Duende - deveria estar (o mesmo lugar da semana passada) e não estava lá.
Procura, procura e ele resolveu perguntar mais sobre o título...sobre o que é o livro? Antes mesmo que eu pudesse abrir a boca ele disparou: Vampirismo?
Ele nem me deu tempo de responder...daí desisti...Xapralá né bem.
Saí morrendo de rir...e claro sem o livro...ele não encontrou. Acho que não procuramos na estante de  livros para Exorcismo.

Em tempo: fui em outra livraria e póing: encontrei meu amigo livreiro e o livro em questão. Tudo sem trauma ou medo de vampiros."

manual prático de bons modos em livrarias: entenderam, né? isso aqui é um espaço cultural. sendo assim, mantenham a ordem e o bom senso (beijo, querida!) ou eu chamo o guardinha do água para elefantes pra dar um jeito na bagunça.

20120202

[aquela autora lá]



- moça, por favor, onde encontro os livros da "madame bovary"?

- você procura alguma edição específica?

- ela tem muitos publicados?

(muita calma, hillé, muita c a l m a)

- então, quer dar uma olhada nas edições que temos aqui?

- sim, mas qual é o mais famoso dela?

- como assim?

(quero fazer a ~web diva~ tulla luana e tatuar 'como assim?' na testa)

- de todos que ela escreveu, qual é o mais vendido?

(agora em slow motion: muita calma, hillé, muita c a l m a)


manual prático de bons modos em livrarias: flaubert, me liga, se precisar de um ombro amigo. sério.