20120630

[esses cineastas aí tudo]


                                                                               tsctsctsc

é ainda manhã, a livraria está vazia e tudo parece caminhar para a santa paz. PÉIN, ERRADO. freguesa, ofegante, aborda a livreira, pois está interessada em saber mais sobre a sétima arte:

freguesa: moça, o que você me indica de livros de cinema? eu gosto muito do RICÓQUE, por exemplo.

livreira: desculpa, mas quem é ricóque?

freguesa: ai, aquele diretor de filmes de terror.

(HAHAHAHAHAHAHA)

manual prático de bons modos em livrarias:
hitchcock, seu lindo, dá cá um abraço.

20120629

[que mário?]

  amor compartilhado pelo freguês vinícius ducatti <3

(cliente, senhorinha, pra lá de perdida na livraria)

freguesa: mocinho, você poderia me ajudar?

livreiro: claro, senhora, que tipo de livro a senhora está procurando?

freguesa: é um presente pra minha neta, ela gosta bastante de ler e também é escritora!

livreiro: olha, que legal! e a senhora sabe de algum autor ou gênero que ela goste mais de ler?

freguesa: não sei o que ela lê, mas sei que escreve romances!

 
livreiro: bom, então vou te indicar este daqui, vargas llosa, "travessuras da menina má". também sou autor e recomendo muito este livro.

(livreiro fala sobre o livro para convencê-la. freguesa decide levar a obra, caminha em direção ao caixa e todos vivem felizes para sempre, só que não. após efetuar o pagamento, a freguesa volta...)
 
freguesa: mocinho, por favor, você podia escrever uma dedicatória pra ela?

livreiro: oi?

freguesa: escreve aí alguma coisa inspiradora pra ela, sabe, pra dar vontade dela ler o livro!

(comassim???)

livreiro: mas... escrever o quê? não é meu livro, nem sei o nome dela!
 
freguesa:  você não é escritor? então pensa em alguma coisa! (ba dum tiss!) e o nome dela é X.
 
livreiro: tá bom, senhora...

(livreiro escreve uma dedicatória no livro de outro autor pra uma potencial leitora que nunca conhecerá na vida. e aí, então...)

freguesa: mas você não vai assinar?

livreiro: OI???

freguesa: oras, escreveu a dedicatória, tem que ter assinatura!

livreiro: mas pra que ela vai querer um rabisco de um desconhecido no livro dela?

freguesa: ah, finge que é o autor e faz uma rubrica!

manual prático de bons modos em livrarias: atendemos a freguesia, o telefone, guardamos livros, aguentamos a sociedade sambando na nossa cara e ainda fazemos cosplay de escritores. como não amar a gente?

20120628

[meu pé de laranja azedo]

 mas meu deus do céu.

(ôtro causo telefônico)

livreiro: livraria, boa noite.

(veja bem, faltava meia hora para o expediente terminar. veja-bem-meu-bem)

freguês: boa noite, tem o livro "o meu pé de laranja lima"?

livreiro: só um instante, por favor.

(livreiro vai até a estante confirmar a disponibilidade do item e retorna ao telefone)

livreiro: tá na mão, quer deixar reservado?

freguês (tom desesperado): cara, me diz, quem é o autor desse livro?

livreiro: é josé mauro de vasconcelos.

freguês: CARA, OBRIGADO, é que eu tô fazendo palavras cruzadas aqui em casa e...

manual prático de bons modos em livrarias: pelo amor de deus, galera. sério, pelo amor de deus, alá, meu bom alá, pelo amor de buda e, principalmente, pelo amor do bob dylan:não.

20120627

[te amo, só que ao contrário]

BÚ!

(causo telefônico)

livreira: livraria, boa tarde?

freguesa: mocinha, boa tarde. meu bisneto vem me visitar no final de semana, e eu quero ENTRETENIMENTO (ora, pois). já comprei lápis de cor, cartolina, confete, essas coisas, sabe?

livreira: sei.

freguesa: então, eu queria uns livros de criança, assim, bem baratinhos... o que você me sugere?

livreira: mas o que a senhora considera barato?

freguesa: ah, uns nove reais.

livreira: olha, por menos de dez reais não tem nada, viu.

freguesa: então me diz o que tem aí ATÉ 15 reais.

(ai, minha senhora, cê me jura mesmo?)

livreira: bom, tem uns livros de uma editora que são bem bonitinhos por R$14,90...

freguesa: certo, me fala o título de todos os que você tem aí.

(minha senhora, foi meu ex que pediu para a senhora me encontrar no rio de janeiro e infernizar a minha vida? pode ser sincera)

livreira: são muitos, mas vamos lá, posso falar o nome de alguns...

(livreira pega uma meia dúzia de livros e começa a falar os títulos para a freguesa)

freguesa: qual foi o último que você falou?

livreira: "hora de ir pra cama".

freguesa: MINHA FILHA, ESSE AÍ NEM PENSAR. EU NÃO QUERO QUE AQUELA PESTE DURMA AQUI EM CASA.

manual prático de bons modos em livrarias: imagina que amor deve ser dormir na casa dessa senhora, só que não.

20120610

[ - moça, o que precisa para trabalhar em livraria?]


a pergunta foi feita por um ex-ativista italiano (agora nosso colega de trabalho) e é repetida, diariamente, por diversas pessoas que acham que trabalhar em livraria é quase como ganhar na raspadinha. nós, livreiros, sempre ficamos meiq sem reação, afinal, não é exigido muita coisa: amar já é o suficiente. selecionei as melhores respostas do nosso concurso cultural e deixei para o final o vencedor da biografia da clarice. olhaí:

- moça, o que precisa para trabalhar em livraria?

"dois hamburgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles e um pão com gergelhim!", camila pio

"de um currículo", paulo afonso sanches

"precisa compreender que ainda existe no seculo XXI brasileiros que nem ao menos ouviram falar de clarisse lispector, essa deusa das crônicas de estilo unico e meio louco.", érica pires

"é preciso ter uma experiência de longa data na rehab e, se possível, um peixe.", luiz gustavo osório xavier

"ter músculos desenvolvidos para carregar os livros pra lá e pra cá; memória pra saber quem escreveu o quê; conhecimento sobre a grafia dos nomes dos autores; traquejo pra lidar com pessoas difíceis e responder perguntas bobas e muito bom humor pra receber o contracheque.", nayara peneda tozei

"precisa de um guia e uma toalha. só os fortes entenderão.", juliana assunção

"uma bacia, dois limões, uma câmara de pneu de bicicleta e três chuchus.", rafaela costa e silva

"não ter participação no incêndio da antiga biblioteca de alexandria, e ter, no minimo, 6 meses de experiência trabalhando no circo.", genyedi soares

"precisa ter porte de arma, pra saber quando e onde usar, sem ferir inocentes.", mei ri

"precisa ser meio puta velha - ganhar pouco, trabalhar em horários estranhos e todo ano jurar que vai largar essa vida.", paula renata borges

"é preciso ter phd no "você quis dizer" do google.", mariana melo

"amor líquido com álcool", joão paulo francischini

"saber a resposta para a pergunta: 'moça, aqui vende livro?'", thais almeida

"mais humor que paciência / mais amor que sapiência.", akemi mitsueda

"é preciso não gostar de ler, mas fingir conhecer os livros que não leu.", luiz fernando alves

"não precisa de nada. venha vazia, porque o tanto que eles vão te encher.", ana carla de souza

"precisa ser subversivo da cabeça pra dentro e gentil da boca pra fora.", fabrício pacheco

"três anos de prática como encanador ou dois como açougueiro, este último se for para vender livros infantis.", thiago morini

"um psicanalista no rol das amizades.", sávio alencar

"trazer a pessoa amada em três dias", hugo avelar

"malemolência, futebol moleque e sangue nozóio.", laurinha guimarães

"desnecessário, somente o desnecessário.", je suis adiplomatique

"precisa de vida, pra acabarem com ela.", ana carla de souza

"um monte de 'manual prático de bons modos em livrarias' para jogar na sacola dos clientes lyndus!", larissa almeida

"habilidade com camuflagens será diferencial", isabela vieira

"ao invés de tratos com o divino, desses luxos do pensamento, deves é fazer um café!", carolina mendes soares

"conhecer todas as flores do leste do Tibet.", rodrigo moncks

"42.", guilherme miranda

"saber que o livro vermelho, aquele moça, tava ali na mesa semana passada, ai não sei o autor, nem o assunto e nem o título mas, ai, moça não deve ter tanto livro com a capa vermelha. tava ali, na mesa. só que a capa era azul.", roberta irizaga dachery

"permanecer de ressaca.", flávia santos

"uma adega de muita paciência engarrafada e um tradutor simultâneo de palavras ininteligíveis.", marina orpinelli

 "conhecer toda a palheta de cores, tamanhos e variantes de nomes de cada autor. a venda e um processo de mistura de informacoes visuais e cruzamento de palavras. o

autor isaac asimov pode ser pedido como: Zaqueu Azamut, Zack Assis, Isa Assim Move e outras variantes", william okubo

"desconfiômetro, pó de perlimpimpim e algum rebolado.", alcides da silva lima

"não sei... isso é um açougue.", henrique valverde

"eficiência. e por eficiência, leia-se a habilidade de ler mentes e lembrar de frases que nunca leu. é muito requisitado.", thais batista suri

"all you need is love.", marco túlio

"precisa ser brasileiro porque jogo de cintura e malandragem são essenciais.", aline veras

"é preciso amar as pessoas como se não houvesse critério", luiz fukushiro


AND THE OSCAR GOES TO:

"precisa ter paciência e aceitar enxergar a realidade como um programa do chaves, uma eterna repetição, repleta de obviedades, confusões nos nomes, insistência no "o que foi que eu disse? mas como é que é?" ter a insustentável leveza pra compreender que "o inferno são os outros", mas que você sempre deve sorrir, afinal, o enxergam como um livro de auto ajuda ambulante. e, principalmente, apesar de todos os absurdos na procura de livros e autores, não dá pra ir em busca do tempo perdido.", nayara moura

manual prático de bons modos em livrarias: vale imprimir as respostas e entregar aos novos livreiros de plantão. nayara, você tem até o dia 15 para mandar seu endereço para hillepuonto@gmail.com. você receberá o livreto em su casa, todo cheio de amor.

20120604

[u dois]


gozado, né?

- boa tarde, eu tô procurando um cd para dar pro meu neto... é de uma banda com nome estranho, acho que o nome eram duas letras.

- U2, senhora?

- como é?

- U2? (you too?)

- ai, não sei.

- U2? (u dois?)
 
- isso! era essa mesma! U2! (u dois!) nome gozado, né?

- Ô...

manual prático de bons modos em livrarias: fregueses gozadores, amamos vocês sim, claro ou com certeza?

20120602

[meu primeiro manual prático de bons orgasmos] 

- mas gente,

sábado de sol. livraria está cheia de amor e gente creize, pra variar. logo no início do expediente, livreira dá de cara com uma freguesa perdida e que, toda trabalhada no carão, não sabe se está em uma livraria ou em um desfile de moda outono-inverno. livreira, à procura de altas emoções, resolve abordá-la.

- moça, tudo bem? você procura algum livro específico?
 
- LIVROS SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL PARA CRIANÇAS.

(rapidinho aqui: "bom dia", "por favor" e "obrigada" caíram com a reforma ortográfica da boa educação?)

- claro, vamos lá.

(livreira leva a freguesa até a estante onde estão os livros sobre educação sexual e mostra alguns títulos)

- qual a idade da criança?

- sete anos.

- olha, tem ES...

- EU QUERO UM LIVRO QUE FALE SOBRE ORGAMOS PARA CRIANÇAS.

(mas gente)

- só sobre orgasmos?

- é, me mostra o que você tem aí de livros infantis sobre orgasmo.
- então, senhora, acho que não existe um livro só sobre orgasmos voltado para o público infantil.

- NÃO?

- olha, eu realmente não conheço.

- ENTÃO EU VOU ESCREVER UM. NINGUÉM FALA SOBRE ORGASMOS COM A CRIANÇADA, NÉ?

(mas gente)

manual prático de bons modos em livrarias: gozei.
-