20120814

[augusto, o filósofo] 



tem gente que me pergunta qual é a diferença entre vender livros e ser revendedora dos produtos jetiqui. respondo aqui: no segundo caso, você tem chances de conhecer o silvio santos; sendo livreiro[a], você só corre o risco de conhecer freguesas como a do causo a seguir, uma exímia leitora de filosofia, só que não:

freguesa (acompanhada da amiga): por favor, onde é que eu encontro os livros do augusto, aquele filósofo brasileiro?

(livreiro percebe que a freguesa quer apenas mostrar para a amiga o seu altíssimo nível intelectual e, ai, preguiça de continuar esse atendimentzzZZZzz)

livreiro: augusto, filósofo brasileiro?

freguesa: é, moço, augusto qualquer coisa.

(ZzzZZ livreiro imagina que a freguesa possa estar confundindo brasileiro com francês, livraria com padaria, qualquer coisa com qualquer coisa, e tenta ajudá-la)

livreiro: não seria o auguste comte?

freguesa: auguste comte? não, moço, é outro augusto. é um filósofo importante, um dos mais conhecidos, está sempre na lista dos mais vendidos. ai, moço, como assim você não conhece?

("outro augusto", "como assim você não conhece?" livreiro conta até dez, respira, conta até trinta e devolve a pergunta)

livreiro: AUGUSTO CURY, senhora?

freguesa: poxa, demorou, hein?

("DEMOROU, HEIN")

livreiro: ah sim, os livros dele estão lá em AUTOAJUDA.

freguesa: como assim em "autoajuda"?

(livreiro sai de cena em busca de revistas velhas para responder a pergunta da freguesa com uma colagem artística. desenhar é coisa do passado)

manual prático de bons modos em livrarias: freguesia, como alguns sabem, o [manual] vai ser transformado em livro (eba!). portanto, o blog e o twitter vão ficar temporariamente sem suas fréneticas atualizações (é por pouco tempo, por favor, engulam o choro). mas a gente vai se falando lá na comunidade hippie. e quem quiser mandar causos para o livro (fregueses e livreiros), o caminho do bem é o de sempre: hillepuonto@gmail.com ; )