20121030

[das estantes que não existem]



e depois dos livros porcaria, a freguesia andou se reunindo por aí para criar mais seções psicodélicas na livraria. acompanhem.

causo 1) 

freguês: moça, onde fica a parte de criatividade?

(livreira olha para o freguês e pensa em responder: "na cabeça?")

causo 2)

freguês: onde fica a seção de cotidiano?

livreira: cotidiano?

freguês: é, de gravidez.

(sim, porque engravidar faz parte do dia a dia)

causo 3)

freguês: moça, por favor, onde fica a parte reservada da livraria?

livreira: você está procurando a reserva?

freguês: não, a parte reservada mesmo, eu quero comprar dvds de conteúdo adulto.

manual prático de bons modos em livrarias: imagina na copa.

20121029

robin hood futebol clube, só que não



freguesa: moça, bom dia. eu preciso presentear um garoto de dez anos, ele gosta bastante de futebol.

(vocês que dão 'bom dia' para o livreiro e conhecem a pessoa para quem vai dar o presente: muito amor)

livreira: ah, legal, você quer dar algum livro de time de futebol? 

freguesa: não.

(alá, cabô amor. mas só melhora, prometo)

livreira: hm, e o que você tem em mente?

freguesa: ah, não sei, queria alguma coisa sobre cultura...

livreira: sobre a cultura do futebol?

freguesa: não, algo tipo robin hood.

(HAHAHAHAHHAHAHAHAHHA)

livreira: tipo robin hood, sei.

manual prático de bons modos em livrarias: quem trabalha no setor infantil de uma livraria, além de fazer cosplay de recreador infantil, sabe que a maioria dos fregueses chega pedindo as coisas mais absurdas do universo. te dou um exemplo? "ah, eu queria um livro de adulto, só que com linguagem para crianças". bang.

20121015

[alou?]

(ai que bode)


domingo pós-feriado e a livraria em ritmo de beto carreiro world (está permitida a interpretação livre). para ajudar no climão maneiro, o telefone, esse objeto inventado no inferno, não para de tocar. entre um atendimento e outro, livreira puxa a ligação e:

livreira: livraria x, boa tarde?

freguesa: BOA TARDE, PRECISO DE UM LIVRO DE BOLSO PARA DAR DE PRESENTE.

(amo/sou gente que dá livro de bolso de presente. tão baratinho, né? tão jeitosinho, né? tão "gasto dinheiro com feijoada enlatada, mas não gasto com livro", né? livreira indica e fala sobre "a insustentável leveza do ser")
freguesa: tá, pode ser. você pode me indicar mais dois?

(livreira, então, indica "lolita" e "as boas mulheres da china")

freguesa: ah, ótimo. agora só preciso que os autores sejam português, espanhol, italiano, alemão e inglês.

(que isso, festa das nações? e falar antes para quê, freguesia? resposta: paraguaio)

livreira: ai, minha senhora, mas o nabokov (lolita) é russo e a xinran (as boas mulheres da china) é chinesa.

freguesa: e o autor do outro livro que você me indicou?

livreira: o do milan kundera? sei não.

freguesa: espera, tô com o google aberto aqui.

(a senhora me jura que pensou no google só agora? a senhora está de deboche ou a senhora está de deboche? cinco minutos depois, a freguesa revela a nacionalidade do escritor)

freguesa: moça, ele deve ser erudito. tá escrito aqui que a família dele é ERUDITA.

manual prático de bons modos em livrarias: silêncio. apenas o silêncio.

20121006

[neil jung]

 

amor [doído] compartilhado por livreiro paulistano, que acompanhou o causo de longe.

final de semana com livreiros e fregueses surtados sim, russomano e eduardo paes não. freguês entra na livraria à procura de amor e encontra algo tipo empada de carne humana vendida a cinquenta centavos, ou seja, atendimento #fail. segura na minha mão, porque o negócio tá cada vez mais puxado.

freguês: boa tarde, você tem aí a biografia do neil young?

livreiro: fica lá em psicologia.


freguês: ahn? em psicologia? mas o neil young?

livreiro: NÃO!!! foi mal.

(pronto, passou, foi só um susto)

livreiro: na verdade, fica lá em psicanálise.

(meu deus, o ar que eu respiro meu deus. livreiro amigo, simule um desmaio, passe a bola, finja que está possúido, qualquer coisa, bicho. melhor, silêncio, mantenha o silêncio)

freguês: amigo, estou falando do NEIL YOUNG e não do JUNG.  tá fácil trabalhar aqui, hein? tão contratando qualquer um.

(vish)

manual prático de bons modos em livrarias:
tem nada fácil não, freguesia, tá é difícil. alguém me serve um bom drinque sem gelo? obrigada.