20120429

[querida/o bibliotecária/o] 


semana passada, fui conhecer algumas livrarias e sebos carioquetes (alô, livreiro do sebo berinjela, ouvi a sua história do cachorro-quente e quase te paguei 01almoço). e, claro, aproveitei para dar um oi para a biblioteca nacional (♥). os livros que me perdoem, mas as histórias que a luciana g., uma das bibliotecárias de lá, me contou roubaram toda a cena. e a melhor de todas foi a de uma carta que a biblioteca recebeu de um gringo muito louco, que, bom, fiz questão de fotografar porque não dá (gente, não dá) pra explicar com palavras, só lendo mesmo:



para quem não manja nada de inglês, o freguês renan birck, disponibilizou uma tradução esperta da pérola literária. outro freguês maravilha, o pedro moraes, encontrou o perfil da simpatia no facebook


***

daí a sonja faria, que é uma bibliotecária lá de londres, me mandou um e-mail, contando alguns dos causos que já aconteceram com ela e, MEU DEUS, acompanhem, por favor:

causo I:

"uma senhora veio abrir um cadastro conosco e eu disse que precisaria apenas de um comprovante de residência, mas ela não sabia o que era isso (tudo bem, tem gente que acha que para ter o perfil verificado no twitter tem que mandar comprovante de endereço para o FBI, ou seja.)

- olha, senhora, comprovante de endereço é qualquer coisa que tenha o seu nome e endereço. pode ser uma conta de luz, telefone ou um extrato bancário.

não, não adiantou explicar. ela disse que o que eu queria, na verdade, era saber quanto de dinheiro ela tinha no banco. depois de tudo resolvido, ela fez o cadastro e levou "os lusíadas". dias depois, a senhora retornou à biblioteca para perguntar o dia da devolução do livro. mostrei a data, que era aquele mesmo dia (08/02), mas avisei que ela poderia renovar por mais três semanas. pronto, ela disse que não, que ia buscar o livro em casa, pois era muito chato e que era impossível a data de devolução ser naquele mesmo dia, pois na folhinha da igreja marcava 18/02 e não 08/02.

- A FOLHINHA DA IGREJA NUNCA ERRA, MOCINHA. 

sim, o marido estava do lado, completamente envergonhado."

causo II

"temos uma impressora e uma máquina de xerox, onde se tira copias por 0,05. a pessoa coloca moedas de 0,05 ou múltiplos de 0,05 (dependendo da quantidade de copias). certo dia, um português perguntou se eu podia podia usar o cartão-mestre e ele me pagava no caixa. 

- mas qual é o motivo, senhor?

- veja bem, eu não posso vir até aqui com as mãos cheias de moedas de 0,05".

manual prático de bons modos em livrarias: amo/sou bibliotecárias[os].
[a ordem das estantes altera o passarinho*]


                             amor compartilhado pela freguesa gabriela petrucci


fui visitar a nova livraria da minha cidade, onde jane austen e josé saramago ficam na prateleira de literatura nacional (saramago a gente até "entende", mas jane austen? ô gente, como manter a chama do amor acesa?). pois bem, eu buscava livros policiais e perguntei pra livreira:


- moça, onde ficam os livros do sidney sheldon, da agatha christie...?

(livreira sem pensar duas vezes, sorri, e responde)

- você pode me acompanhar, por favor? os livros de vampiros ficam por aqui!

(para a nossa alegria, eu teria perguntando também pelo fantástico "a hora da estrela", da querida jane. assim, só pra forçar a amizade)

manual prático de bons modos em livrarias: que a maioria das livrarias anda contratando gente que não sabe a diferença entre o charme e o funk já não é novidade para ninguém. e, veja bem, não estou generalizando (coisa que nunca fiz aqui no blog), mas, ó, custa menos de vinte reais e ajuda um monte. beijo.

20120415

[salazar, esse grande sujeito]



sábado de sol, não aluguei um caminhão e não fui levar a galera para comer feijão. logo pela manhã, um freguês nada simpático resolve bater um papo agradável (só que não), enquanto tenta efetuar a troca de um livro.

- amiga, bom dia. eu gostaria de trocar essa biografia do salazar.

- claro, podemos efetuar a troca. qual é o motivo?

- é que o livro é muito grande e eu sou um senhor de 85 anos, não tenho mais nem força pra segurar um livro desse tamanho.

(livreira compreende a situação do freguês, no entanto, não pode efetuar a troca, pois percebe que o livro não havia sido comprado ali)

- então, senhor, esse livro não foi adquirido nessa livraria, não posso fazer a troca.

- olha, minha jovem. eu ADORARIA ler esse livro, porque sou FÃ desse cara, desse grande lusitano! grande português foi esse sujeito, sabe? existem dois portugais: um ANTES e outro DEPOIS de salazar. portugal era uma merda e se hoje está bom do jeito que está é graças a salazar. a mesma coisa no chile: se o chile hoje é muito melhor que o brasil é graças ao pinochet, mas ninguém reconhece isso. não ensinam isso na faculdade.


- não, de fato não ensinam, muito pelo contrário e...

- PORQUE SÃO TODOS UNS COMUNISTAS. a universidade no brasil é essa merda, porque são todas dominadas por CO-MU-NIS-TAS! sabe quantos os comunistas mataram na II guerra? mais de 100 milhões! e a gente lembra do que? alguém fala disso? não! só se fala dos seis milhões que o hitler matou pra levantar a alemanha! o que são seis milhões de mortes dos nazistas, perto dos 100 milhões dos comunistas? nada! e no brasil a gente tem até o PC do B (partido comunista do brasil), ou seja, se tem um partido comunista, deveria ter também um partido NAZISTA do brasil e eu faria parte!

(após a aula de história surreal, o freguês voltou ao assunto da troca impossível, já que o livro não havia sido comprado conosco)

- pode olhar no meu histórico, minha querida, eu sou um grande freguês dessa livraria.

(MINHA QUERIDA)

- sim, estou vendo. o senhor comprou 39 livros ao longo de 11 anos. mais alguma coisa?

manual prático de bons modos em livrarias: adoniran e elis, vâmo ali pro bar tomar um mé. não tá fáceo. porque, gente, independente de qualquer coisa, orelha de livreiro parece, mas não é vaso sanitário público. sério mesmo.

20120410

[PAUSA PARA OS NOSSOS ANUNCIANTES]




http://hillevendetudo.blogspot.com ♥

20120409

[Indicaí]



- Ér, veja

[amor compartilhado por livreiro amigo]

Freguês: Por favor, meu rapaz, estante de literatura gay?

(Taí uma coisa que eu não entendo, mas é assunto pra depois. O que o freguês procurava, na verdadade, eram livros de arte com imagens eróticas)

Livreiro: O setor de Artes fica no piso superior.

Freguês: E guia de turismo GLS?

Livreiro: Olha, moço, não conheço nenhum, mas se tiver, acredito que fique lá também. Os guias de viagem ficam todos no segundo andar.

Freguês: E sauna gay aqui na cidade, qual que você me indica?



Manual Prático de Bons Modos em Livrarias: Menas, freguesia. Menas, por favor.