[me ajuda aqui?]

aff, calaboc

amor compartilhado pela freguesa hellen bortoleto.


êta sábado maravilhoso. livraria com movimento igual ao da 25 de março, musiquinha rolando pra descontrair o ambiente, crianças serelepes correndo de um lado para o outro, e para deixar o dia com um gostinho de quero mais, um casal aborda a livreira:

freguesa: moça, cê poderia me indicar algum livro parecido com 'o senhor dos anéis'?

(talvez algum do tolkien psicografado?)

livreira: olha, como você deve saber, 'o senhor dos anéis' tem um estilo muito especifico. você conhece os livros do r.r.martin? 

(antes que a livreira pegasse o livro, a freguesa demonstra que não está muito confortável)

freguesa: ah não moça, não gosto desse tipo de literatura (alôalô coerência? sdds coerência? por onde anda menina coerência?) prefiro algo mais parecido, sei lá, com o tolkien mesmo ou algo tipo o dan brown. você tem ou não?

(careta pode. grosseria não pode)

livreira: não temos. dan brown e tolkien são autores muito prestigiados, não há obras como as deles, sabe.

freguesa: então quero um policial. eu já li de tudo, moça, me mostre algo diferente. 

(depois de vasculhar todo seu acervo mental de livros, quase se dando por vencida por questões óbvias, e um pouco desanimada, a livreira pergunta)

livreira: você já leu 'os homens que não amavam as mulheres'? 

freguesa: não, não, haha. eu te peço um livro policial e você me indica um livro de relacionamento?


manual prático de bons modos em livrarias: dois séculos trabalhando em livraria e eu ainda não consigo entender a freguesia que pede indicação de leitura, mas nunca aceita nenhuma sugestão. alguém me ajuda nessa empreitada, por favor?

22 comentários:

  1. É mais ou menos isso que eu sofro no trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Um professor meu comentou sobre o filme "O Eclipse" na aula e ficou surpreso em saber que quase todos os alunos tinham assistido o filme do Antonioni. Mais tarde ele descobriu que quando falou "Eclipse", os alunos entenderam o Eclipse que é parte da saga Crepúsculo. É muito amor. <3

    ResponderExcluir
  3. Geeente, esta foi pra rememorar momentos áureos do meu tempo! risos.
    Ai, valha-nos!

    ResponderExcluir
  4. Que tipo de gente sai de casa pra pedir indicação de livro na loja? Consultar a internet ou um amigo que te conheça bem é muito mais eficiente. Além disso, "ser telepata" não é pré-requisito pra quem trabalha em livraria. Não tem como adivinhar o gosto. Se a pessoa vai sabendo o que quer, ninguém perde tempo nem a paciência — e todo mundo fica feliz.

    ResponderExcluir
  5. Situação tensa!

    Aqui em minha cidade passei pelo oposto: pedi ajuda para encontrar "O Conde de Monte Cristo" e a vendedora me pergunta se é lançamento e se é uma história de vampiros... ¬¬ Não entendo o processo seletivo para contratação naquela livraria...
    A história completa contei no meu blog...

    http://www.gavetadecoisinhas.blogspot.com.br/2013/04/flor-do-caribe-x-o-conde-de-monte-cristo.html

    Adoro suas histórias. Já passei por coisas desse estilo quando trabalhei em uma videolocadora (ramos diferentes, mesmas dificuldades... rsrs).

    ResponderExcluir
  6. oi, heber. olha, eu discordo. uma das minhas funções é indicar livros para a freguesia e eu gosto bastante de compartilhar um pouco do que já li ou conheço. só acho complicado quem chega na livraria e fica horas "alugando" o livreiro e não aceita nenhuma sugestão dada, além de tratar mal o profissional por ele não saber o que ela (a pessoa) quer.

    ResponderExcluir
  7. E é bom o livro? Porque o filme é o máximo? :-)

    ResponderExcluir
  8. E é bom o livro? Porque o filme é o máximo? :-)

    ResponderExcluir
  9. é por essas e outras que 50 tons de cinza ta na lista dos mais vendidos.

    ResponderExcluir
  10. Qualé? Qualquer livro de fantasia é tipo Tolkien. A Torre Negra, do Stephen King, por exemplo. Qualquer livro policial picareta é tipo Brown. Faltando cultura, aí.

    ResponderExcluir
  11. A mente humana é cheia de mistérios - hehehehe. A gente acaba sendo assim com tanta coisa: pede opinião e não aceita, não gosta, nem agradece... Você deve passar poucas e boas nesse oficio. Adorei teu espaço e o nome do blog também!

    ResponderExcluir
  12. Engraçado, tô aqui tentado lembrar, mas acho que nunca pedi nenhuma sugestão a livreiro. Geralmente eu pergunto onde fica tal seção ou tal autor. Quando quero um livro específico levo o nome certinho, anotado etc. Sou ou não sou uma freguesa boazinha? rsrsrsrsrs
    Nunca trabalhei em livraria, mas já trabalhei em loja e o mais legal é quando o freguês achava que ali era o balcão de informação do shopping, do bairro e da cidade. E o fato de eu ser brasileira (numa loja inglesa) fazia com que as "colega" achasse que eu falava qualquer idioma estrangeiro e pudesse atender todos os turistas franceses, italianos, noruegueses etc, porque, sacumé, né? Todas as línguas que não são o inglês são zuper parecidas.

    ResponderExcluir
  13. Será que ela entendeu R.R. Soares?

    ResponderExcluir
  14. Acontece - ou acontecia, já que esses estabelecimentos estão quase extintos - muito em locadora de vídeo também... turma chega lá e pede indicação de filme.

    ResponderExcluir
  15. Se eu te contar, que um dos meus maiores prazeres seria trabalhar numa livraria... talvz não seja a única. É muito bom vir aqui e ler as histórias que acontecem longe dos livros e sim num lugar qu vende livros, haha. Outra indicação? Talvez exílio na ilha grande? É aquele momento que falta paciência pra explicar que existem outras indicações de livros além do estilo que ela gostaria, já que ela não gostou de nenhum dentro do estilo. Mas é realmente complicado quando nada agrada e o cliente saí insatisfeito. Bom mesmo é ver as pessoas saindo cheio de histórias para serem lidas. Assim, como voltarei aqui pra ouvir das suas histórias. Um beijo, qualquer dia entro na livraria e te peço indicações que certamente irei levar.

    ResponderExcluir
  16. Tá. Ninguém mandou você perguntar: Pra se dar bem, comporte-se como uma máquina e não ofereça nada além do limite da triste visão da qual dispõe o cliente. Pra ficar bem, tente salvar a vida da pessoa e ofereça aquelas coisinhas impressas que transformam a vida de qualquer infeliz desgraçado após algumas boas páginas em longos dias de inquietação [sorrio]. Um abraço, livreira! Aqui tudo é delicioso! Com tempo, deixe sua impressão no meu http://jefhcardoso.blogspot.com Ficarei honrado!

    ResponderExcluir
  17. Estou morando em Buenos Aires e sempre vou à livraria Ateneo-Grand Splendid em busca de livros, de preferência de autores argentinos. Um dia eu estava sem inspiração e pedi recomendação pro livreiro, que na hora me deu um livro comentando que ele estava recebendo críticas excelentes. Nem pensei, fui direto pro caixa pagar - eu sempre acho o máximo que alguém me dê indicações, meio que espero que sei lá, o livro vai mudar minha vida. Pois é.
    Mas enfim, chego num ponto da leitura e percebo que tem alguma coisa muito familiar - os narradores são livreiros e a livraria descrita me parece muito, mas muito, familiar. Aí me bate a curiosidade de ler sobre os autores: os dois são livreiros da Ateneo. E eu tenho certeza de que o cara que me deu o livro era o autor. Até que o livro não era ruim, mas tenho certeza de que ais tais "críticas excelentes" devem ter vindo da família, dos amigos... não vi uma menção ao livro em nenhum meio de comunicação!

    ResponderExcluir
  18. Heber:
    Eu sou o tipo de gente que vai e pede indicação na livraria. Fiz isto faz poucos dias. estava querendo ler algo diferente do que estava acostumado e acho que a melhor pessoa para perguntar sobre livros é um livreiro. De fato, na Livraria cultura do Shopping villa lobos perguntei ao livreiro e recebi excelentes indicações que combinam comigo e no momento estou lendo; Barba ensopada de sangue, que ele me indicou e até o momento eu nem sabia que existia.

    ResponderExcluir
  19. Não sei, pra mim R R Martin e Tolkien tão um para o outro assim como Emily Brontë e Stephenie Meyer...
    Mas pra quê fazer careta? A livreira não vai adivinhar do que ela gosta ou não! E tanta gente gostou de A guerra dos tronos, Cinquenta tons de cinza e a própria leitora queria algo tipo "Dan Brown"...

    Mas, essa foi lasca. Leu de tudo e não sabe nem que livro é "Os Homens que não amavam as mulheres"? [E que postura desagradável!]

    Até minha irmã que não lê praticamente nada ouviu falar no livro!!

    ResponderExcluir
  20. "Qualé? Qualquer livro de fantasia é tipo Tolkien". Não, querida, não é. E você não sabe nem a diferença entre insólito, fantástico e maravilhoso.

    Apenas lamento...

    ResponderExcluir
  21. Pois aqui na França é assim: os livros que seriam indicados pelo livreiro ganham um post it escrito: coup de coeur de x. Assim, o fregues não incomoda o livreiro nem o livreiro é incomodado pelo freguês. So não da é pra distribuir amor sem incômodo...

    ResponderExcluir
  22. Eu sugeriria o Bernard Cornwell. É ficção histórica, mas o estilo é bastante parecido. E não é tão díspar no quesito qualidade.

    ResponderExcluir

<< >>